Entrevista 19Set

À conversa com Geisa Correia // Ela e a Marmita


Geisa Correia,uma vegetariana em construção e amante de Running e Trail Running, partilha no blogue Ela e a Marmita momentos, inspirações e conquistas diárias. O Clube Fitness esteve à conversa com Ela (e a Marmita).

Habituou-se a ouvir “lá vai ela e a sua marmita” e assim nasceu o seu blogue. Ela (Geisa Correia) é amante de comunicação, desporto e um estilo de vida saudável. A marmita vai com "ela" para todo o lado, para ter a certeza sabe o que come e come o que quer.
 

À conversa com Ela e a Marmita


Apresentas-te como “vegetariana em construção, amante de Running e Trail Running”. São estas três coisas que te definem atualmente?
São 3 coisas que fazem parte da minha vida atual, sim, e que pretendo que se mantenham.

Vamos começar por falar da primeira. És uma vegetariana em construção… Isso quer dizer que ainda não és 100% vegetariana?
Quando iniciei o blogue não era. Nessa altura já tinha eliminado a carne da minha alimentação e percebi que isso seria parte de um processo construtivo. Eliminei posteriormente o peixe e atualmente já não como derivados. Sou 100% vegetariana! Tenho uma alimentação totalmente vegana, no entanto, como referi tem sido e será sempre um processo de construção e aprendizagem.
 
O que tens mudado na tua alimentação para te tornares vegetariana? Dá exemplos. 
Sempre questionei se seria capaz de seguir uma dieta vegetariana, admirava quem o conseguia e como conseguia por tudo o que envolve, seja pela alimentação mais rica e genuína, bem como pelo respeito pela natureza! Nos primeiros dias do ano de 2013 decidi que ia eliminar a carne, para além de ter sido muito mais fácil do que o que imaginava, senti-me muito melhor a vários níveis. Por isso fui mudando gradualmente, pesquisando, recorri a amigos vegetarianos e foi um processo natural.
Um exemplo dessa mudança é uma maior preocupação pela composição dos alimentos, a sua qualidade e perceber onde encontramos todos os macronutrientes que precisamos para o nosso dia a dia, sem recorrer à carne ou ao peixe, aparentemente mais fácil e ao que fomos habituados.



Desde que te tornaste vegetariana (ou vegetariana em construção) qual é o teu prato preferido?
Ui! São tantos! Um dos meus pratos favoritos foi e é Esparguete à bolonhesa. Hoje confecionada com soja ou seitan!
 
É difícil ser vegetariana?
Tendo em conta que sou muito mais feliz com esta opção, nada mesmo!
Acredito que quem toma esta opção vai descobrir imensas coisas boas. Para além que hoje em dia, felizmente, há imensa informação e opções disponíveis. Basta querer.

Intitulaste como “amante de running e trail running”. De onde veio e como começou o gosto pela corrida?
De miúda! Pratiquei atletismo, natação e fui federada em orientação. Tinha os meus 12 anos, treinava com o Fernando Mamede, por iniciativa dos apoios ao desporto escolar, duas vezes por semana com outras crianças da minha idade. Mais tarde fui para desporto, mas acabei pode me dedicar à área de comunicação. Há cerca de 3 anos retomei esta paixão antiga.

O que mais gostas na corrida? E há alguma coisa que não gostes?
Para mim é uma forma de desanuviar, de manter ativa e saudável. O facto de entrar em provas é pelo desafio de superação pessoal!

Corres todos os dias? E onde mais gostas de correr?
Sempre que possível corro 5 dias por semana. Gosto dos treinos longos pelos trilhos.
 
Explica-nos no que consiste o trail running? O que te fez interessar por “trail running”?
Teoricamente é correr nos trilhos. Sair do asfalto e descobrir a corrida na natureza. Correr em locais recônditos e únicos que a montanha oferece.
Para mim, e o que me fez e faz interessar pela modalidade, é o contacto com a natureza e porque nos faz sair da zona de conforto. É uma modalidade que nos desafia de forma ímpar, cada prova é uma prova. Permite descobrimos mais de nós, da nossa resiliência e poder de superação. O Trail é acima de tudo um grande convívio de amantes da natureza e da corrida.



Porque decidiste criar o blogue “Ela e Marmita”? O que podem as pessoas encontrar no blogue?
Quando mudei a minha alimentação, partilhava regularmente as minhas marmitas no meu Instagram. Passei a ouvir "lá vai ela e a sua marmita"! Eram partilhas da marmita de uma vegetariana que corria e isso gerou curiosidade. Comecei a ter várias solicitações para partilhar mais refeições, mais sobre o treino associado à alimentação vegetariana e como sou amante de comunicação surgiu Ela e a marmita.

Preparas as tuas marmitas todos os dias? Porquê?
Passei a querer saber sobre o que comia e ter a certeza que comia o que queria. Isso só dependia de mim por isso passei a fazer as minhas marmitas. Por norma ao domingo preparo algumas marmitas e faço um plano para a semana, tendo em conta o trabalho e os treinos.








 



Partilha este artigo:

 

PUB

Sugestões Prozis